Facebook Twitter Youtube
Biquini Cavadão comemora 30 anos de carreira com turnê “Me Leve Sem Destino”

A banda se apresenta no Festival de Inverno de Itapecerica (MG), neste sábado (25/07)

 

O Biquini Cavadão celebra os 30 anos de carreira com a nova turnê “Me Leve Sem Destino”. Desde o lançamento, em março, na capital mineira Belo Horizonte, a banda já percorreu por várias cidades brasileiras e a próxima parada será em Itapecerica (MG), neste sábado (25/07), no 21º Festival de Inverno.

 

O lançamento do CD duplo, DVD e Bluray pela Sony Music deu início às comemorações. O registro da banda em grande forma, realizado no Palácio da Música Oscar Niemeyer, em Goiânia, em maio de 2014 não foi devido apenas a um posicionamento geográfico que facilitasse a vinda dos fãs de todo país. Há tempos que  grupo criou uma base sólida por lá e a capital sertaneja tem um grande carinho pela banda. Tendo já gravado DVDs no Nordeste (Fortaleza - 2005) e Sudeste (Rio de Janeiro - 2008), foi o momento de a banda registrar a força que tem no Centro-Oeste. 

 

Bruno, Coelho, Miguel e Álvaro  mostram  durante o show desta tournée, a essência de um grupo que surgiu na década de 80, se consagrou na década de 90 e se reinventou no século 21. Suas músicas se desatrelaram do estereótipo saudosista, para conquistar novos fãs, a cada show que fazem. Suas letras são atemporais, sem gírias datadas, sem conceitos que marquem uma época ou lugar. Por isso, são facilmente passadas de pai para filho. A menina que se identifica com “Timidez” é o retrato da mãe que a cantava no começo da carreira da banda. Ironicamente, o país pouco mudou também. As críticas de “Zé Ninguém” até hoje parecem falar do que vivemos agora e não só de 1992, quando foi criada. Seja na crítica social ou nas baladas mais afetuosas, cada canção entoada, reflete a história de quem  fez das músicas do Biquini Cavadão a trilha sonora de suas vidas. 

 

Com três músicos convidados no palco, o grupo desfila sucessos desde o começo da banda, em 1985, como “Tédio” e “No Mundo da Lua”.  Passeia pela década de 90 com “Vento Ventania”, “Impossível” e “Janaína”. Confirma os sucessos da década passada tocando  “Quando Eu Te Encontrar”, “Dani” (com uma inserção-homenagem aos “padrinhos” Paralamas cantando “Uma Brasileira”) e  “Quanto Tempo Demora Um Mês”. Finalmente,  mostra o ótimo momento em que se encontra cantando, com a possante colaboração do público, as músicas de seu recente disco “Roda-Gigante”, cuja faixa título foi indicada ao Grammy Latino como “melhor canção brasileira de 2013”. 

 

No show o grupo apresenta ainda duas músicas inéditas: “Livre”, composta durante as manifestações de julho de 2013, uma reflexão sobre a liberdade que todos queremos e buscamos ao mesmo tempo em que nos questiona a liberdade que não exercemos. Além dela, “No Mesmo Lugar” tem sido bastante executada nas rádios do país.  São  faixas que fazem parte deste novo disco e que se unem às canções que a banda quer cantar nos próximos 30 anos! 

   

 

Serviço

21º Festival de Inverno

Praça da Matriz, em Itapecerica

Data: 25 de julho de 2015

Horário: 23h30

Entrada franca

Comentários
NENHUM COMENTÁRIO
Fale com a Chris Fale com a Chris Fale com a Chris Fale com a Chris Home Sobre a Chris Fale com a Chris
Achados da Chris 2013 ©Todos os direitos reservardos - Desenvolvimento: Ellos design