Facebook Twitter Youtube
SupreMa... comemorando 10 anos com muito metal!

Nascia em 2004 umas das grandes promessas do metal brazuca. SupreMa, uma banda paulista de power/progressive metal  de primeira linha. Em 2005 a banda lançou o Ep “Spyeyes” que ganhou grande repercussão conquistando vários fãs.

Excursionando várias vezes pelo nordeste e norte do país a banda fez grandes shows entre 2008 e 2012. Dividiu o palco com grandes nomes do metal mundial como Primal Fear, Evergrey, Korzus, André Matos, Blaze Bayley entre outros.

Com o lançamento de seu recente trabalho “Traumatic Scenes” o SupreMa nos traz uma grata e fantástica surpresa, um disco cheio de peso, com um vocal poderoso e uma produção de alto nível.

E é com grande prazer que trazemos para vocês essa entrevista.

1. Quais foram às mudanças ocorridas na música da banda desde sua formação em 2004?

Douglas Jen: Saudações, internautas! Sinceramente as mudanças foram da água para o vinho, como se diz popularmente. No início eu queria fazer uma metal ópera com várias participações especiais de grandes músicos brasileiros e internacionais, só que acabou que o SupreMa se solidificou como banda e desde então o amadurecimento começou a acontecer. No início a banda soava mais Power Metal com algumas pitadas de algo sinfônico e gótico. Com o tempo fomos encontrando o nosso som de hoje, o que nosso público esperava de nós, e em “Traumatic Scenes” chegamos a um ponto de equilíbrio entre o Power veloz, o Progressivo com linhas trabalhadas, o peso do Thrash Metal e belas melodias com refrães marcantes. Agora também temos um conceito lírico muito forte com temas surreais e até paranormais, que casa muito bem com nosso som.

 

2. Qual a importância do filme “O Invisível” (David S. Goyer) para a banda, já que é um disco conceitual inspirado nessa obra.

Douglas Jen: “Traumatic Scenes” é um álbum conceitual baseado no filme “O invisível”. Não é uma narração exata do filme, porém usamos toda a cronologia e história para mostrar um outro lado da história e todos sentimentos ali implícitos como raiva, ódio, e também amor, memórias, saudade, chegando aos pesadelos, visões e perturbações.  As letras se relacionam com o filme assim como os clipes, o cenário e o figurino da banda. Tudo está ligado e quem for atento às letras e comparecer ao show verá como cada peça se encaixa nesta trama.

3. Participações especiais costumam agregar bastante ao trabalho de uma banda, como foram as participações nesse álbum?

Douglas Jen: Neste álbum, eu queria estar com meus amigos acima de qualquer coisa, pessoas que fizeram parte de minha vida e que eu queria que estivessem ali comigo, antes de mais nada, se divertindo. Pessoas que fizeram parte da carreira da banda nos últimos anos, acompanharam a banda nascer e crescer e esta vibe é a que eu queria refletir no CD. Tivemos participações do Guto Viegas, tecladista que foi da primeira formação da banda e que eu fazia questão que ele estivesse contribuindo com seu talento nesta obra, este é mais do que irmão! De vocalistas tive o Fil (vozes graves), poderosa “thunder” voice que somou demais nos corais e vozes adicionais, a Gisele Garof cantora lírica que deu o toque feminino e suave diante de tanta guitarra pesada e brutal, e também o Victor Próspero, grande vocalista do ABC paulista que gravou os guturais. Para fechar a obra, ou melhor, iniciar, Társis Marim amigo meu de longa data gravou a narração da intro e deu um ar ‘hollywoodiano’ no CD. Cada um contribuiu com seu talento e fizemos um disco consistente. Para o próximo disco teremos outras participações especiais, tenho falado com alguns grandes músicos internacionais e deveremos ter surpresas no próximo álbum.

 

4. Com o lançamento do excelente disco “Traumatic Scenes”, a banda tem planos de excursionar também pelo sul e sudeste do país?

Douglas Jen: Com certeza queremos estar no Sul do país principalmente, que é onde tocamos menos em toda nossa carreira, e queremos tocar novamente no Sudeste, porém a rota de shows está um caos! Inúmeros artistas internacionais vindo ao Brasil, Carnaval, Copa do Mundo  e outros fatores tem feito a banda se dedicar agora somente ao lançamento do vídeo clipe da “Fury and Rage”. Este ano a banda comemora 10 anos de existência e estamos preparando algo especial, com certeza devemos passar por todas as regiões do país e enfim levar nosso show a estados que nunca visitamos anteriormente.

5. Quais as expectativas da banda em relação ao lançamento do disco na Europa e EUA?

Douglas Jen: O disco foi lançado em julho/2013 na Europa e agosto/13 no EUA e a recepção foi incrível. As resenhas do álbum foram ótimas, os redatores entenderam a proposta do CD, da sonoridade e as notas foram todas acima de 8,5/10 e 3,5/5. Pela enorme receptividade do álbum gerou-se uma expectativa de uma possível tour por lá e temos analisado isso com muita calma pois queremos fazer uma bela tour, levando toda nossa estrutura que temos no Brasil, equipe, cenário, etc. Temos planejado isso massivamente nos últimos meses e no momento certo levaremos o nosso melhor para lá!

 

6. Achei bem curioso o fato de vocês se locomoverem com toda a infraestrutura da banda para todos os lugares onde fazem os shows. Essa escolha “trabalhosa” se deve a que?

Douglas Jen: Em primeiro lugar à qualidade, queremos levar a mesma qualidade de shows a todos os fãs, mesmo som, mesma luz, mesmo cenário... Outra que como há muitos detalhes na montagem e passagem de som, preferimos levar sempre a mesma equipe, isso nos dá agilidade e tranquilidade de fazer um belo show. Os fãs tem adorado este novo show e em breve continuaremos a segunda parte da tour do “Traumatic Scenes”.

7. O clip da faixa “Fury and Rage” ficou bem legal! Como foi a produção dele?

Douglas Jen: O clipe da “Fury and Rage” é a coisa mais insana que fizemos na carreira. Fizemos um trabalho bem cuidadoso e trabalhamos com a Nevasca Filmes que é uma gabaritada produtora que trabalha com inúmeros artistas e empresas mainstream como Naldo Benny, João Neto e Frederico, Rick Bonadio, Micael Borges, Manu Gavassi, The Vampire Diaries (RTA Global) e também já trabalharam na produção do programa Pânico na TV (RedeTV e Band). É uma imensa satisfação trabalhar com caras deste nível e desde a primeira reunião quando apresentei as ideias do clipe, a letra e áudio da “Fury and Rage”, os diretores piraram e abraçaram a banda. Pensamos em mil coisas e eles fizeram tudo isso se tornar real.

Tivemos cuidado com cada parte da produção, desde as locações que foram em Paranapiacaba e Joanópolis (SP), a maquiagem, o figurino e os equipamentos de filmagem. A atriz selecionada foi a Mayra Moura, que fez uma interpretação impecável da personagem “Serena”, tanto em seu lado cotidiano quando em seu lado possuído. É praticamente um curta metragem inserido dentro de um vídeo clipe de banda. O clipe foi muito bem aceito pelos fãs que aguardavam ansiosos e quem ainda não assistiu pode conferir no link á seguir https://www.youtube.com/watch?v=_Fjcjgog9ZA .

 

8. O que podemos esperar do SupreMa para 2014?

Douglas Jen: No momento a banda está divulgando o novo clipe e em breve iremos anunciar as primeiras datas da segunda parte da tour. Este ano a banda completa 10 anos de carreira e também devemos ter algo bem especial para os fãs!

 

9. Deixe uma mensagem para os fãs da banda.

Douglas Jen: Muito obrigado pela conversa. Quero deixar aqui meu recado para os fãs ficarem ligados no site e página da banda no Facebook, muito em breve teremos novidades grandes na carreira da banda, estamos muito felizes pelo o que estamos alcançando com este novo CD, tantas resenhas internacionais boas, clipe novo com milhares de acessos neste primeiro mês e queremos que todos os fãs estejam conosco curtindo cada novo passo na carreira da banda. Valeu pessoal, nos vemos na estrada!

Site: www.suprema-online.com

Facebook: www.facebook.com/supremabr

Comentários
NENHUM COMENTÁRIO
Fale com a Chris Fale com a Chris Fale com a Chris Fale com a Chris Home Sobre a Chris Fale com a Chris
Achados da Chris 2013 ©Todos os direitos reservardos - Desenvolvimento: Ellos design